Séries

VEREDAS DO BRASIL - ESTRADA REAL E SEUS OFÍCIOS

Direção: Cristina Maure; Silvia Godinho

Descrição: Trata-se das grandes rotas criadas no Brasil. Como que cada uma delas nasceu, resistiu e se transformou ao longo da sua história. A primeira temporada transporta o espectador para o século XVIII ao percorrer a Estrada Real, conhecida por ser o principal caminho de escoamento do ouro e diamante das Minas Gerais rumo a Portugal. O nosso roteiro começa em Diamantina (MG) até chegar em Paraty (RJ). Nesse trajeto vamos ter como eixo central o ponto de vista do morador local , esses variados personagens que encontramos em distintas cidades nesse percurso. Os moradores da Estrada Real abordam as tradições e o cotidiano locais. Enquanto revelam os segredos de saberes e técnicas artesanais, eles contam histórias de suas tradições familiares e de fatos pouco conhecidos da era Colonial. Vamos conhecer a habilidade de um garimpeiro, o perfeccionismo de um ourives, a arte de escultores, a beleza registrada pelos pintores, a dedicação das farinheiras e dos queijeiros, o amor pela criação de cavalos Mangalargas , a tradição dos carros de boi, a importância das estâncias hidrominerais, a delicadeza e força da cerâmica , o dinamismo do povo caiçara, além de conhecer ofícios tão presentes nas cidades históricas que muitas vezes passam despercebidos pelo viajante.

Classificação Etária Indicativa: Livre

Ano de Produção: 2019

País de Origem: Brasil

Classificação Ancine: 01 - Obra Não Publicitária Brasileira, Constituinte de espaço qualificado e Independente.

Dias/Horários:

Detalhes Episódio (15/03/2020) VEREDAS DO BRASIL - ESTRADA REAL E SEUS OFÍCIOS São Gonçalo
Duração: 00:26:21
Sinopse: Chegamos a São Gonçalo do Rio das Pedras onde vamos mergulhar na memória e nos ofícios de seus moradores. O pacato vilarejo que ainda guarda reminiscências da exploração de ouro e diamante no século XVIII mantém muitas tradições e crenças populares. Vamos conhecer um pouco dessa história com a Dona Lourdes, uma farinheira de mão cheia que aprendeu a fazer farinha de mandioca com sua avó. Com seus braços fortes, acompanhamos todo o processo desde a colheita da mandioca até a torra da farinha para o consumo final. A pequena vila que já foi conhecida pela abundância da água já abrigou muitos moinhos de pedras elevados no curso dos rios. No entanto hoje preserva apenas um que é mantido pela Dona Maria da Conceição. Uma senhora que cuida do moinho com muito carinho e faz a farinha de fubá para ela e para mais quem chegar com saco de milho. E para encerrar vamos aprender como se faz um tijolo de adobe, matéria-prima da maioria das construções do Século XVIII e que ainda estão de pé, como a Igreja de São Gonçalo e muitas outras nas cidades históricas de Minas Gerais. Quem nos apresenta esse ofício é a Dona Marilene, que aprendeu com seus pais, e nos conta orgulhosa que muitas casas dali foram erguidas com seus tijolos. Uma cultura milenar que está sendo resgatada na região.